quarta-feira, 19 de julho de 2017

Uma noite no Hospital São Paulo


O Hospital São Paulo, conhecido por todos aqueles que nas horas de uma necessidade maior, é o ponto de abrigo, de socorro para todos quanto estão com algum problema de saúde.
E eu lembro muito bem que foi nesse hospital que eu tive meu primeiro filho.
Eu, que nessa época não conhecia hospital nenhum fiquei maravilhada com toda aquela assistência e carinho que recebi.
Quantas e quantas mães não passaram pelo mesmo que passei?
Eu pergunto, quem já não esteve no Hospital São Paulo?
Seja pra resolver uma simples dor de barriga, ou pra resolver uma situação de emergência?
Ontem, dia 18 de julho, exatamente as 21 horas, tive que sair correndo com meu filho a procura de uma emergência médica.
E como sempre, sabemos de cor e salteado: "vamos ao Hospital São Paulo"
Meu filho se contorcia de uma repentina dor abdominal e pressão alta.
Nós tremíamos de tanto frio, mas a necessidade, quando o assunto é saúde, não existe em lugar nenhum do mundo desculpas, temos que dar um jeito e resolver, ou procurar resolver.
Chegamos ao pronto socorro do Hospital São Paulo.
A casa de todo mundo que necessita de socorro. É assim que eu falo desse hospital.
E tão grande a minha aflição foi também a tristeza ao ver a aparência daquele que é um ponto de referência em matéria se saúde. Embora caindo aos pedaços ainda existe calor humano ali entre aquelas paredes.
Lembrei do frio que fazia lá fora, e creio que esse frio que chega a doer na pele não é tão gelado quanto as causas que levaram ao Hospital São Paulo a ficar nessa situação. A madrugada avançava:
Pacientes chegando, ambulâncias com pessoas feridas chegando, crianças necessitando de primeiros socorros, idosos passando mal, essas coisas que todos sabem que existe nos prontos socorros.
Graças a Deus ainda existem pessoas que no exercício de suas profissões se preocupam umas com as outras.
Ontem pude ver de perto como é que nesse mundo tão desigual ainda existem pessoas que tratam as pessoas como seres humanos.
Pessoas assim como as que cuidam dos doentes. Que dão o melhor e si em função dos que agonizam com problemas de saúde.
Fomos muito bem tratados tanto na recepção, como pelos médicos como pela enfermaria num hospital com tão poucos recursos mesmo assim meu filho foi muito bem medicado e voltou pra casa sem dor.
Agora, sob orientação da médica que nos atendeu, mas depois medicado e atendido vamos buscar os exames que dirão o porque da dor abdominal do meu filho.
Já que nada podemos fazer, peçamos a Deus que ilumine a mente de alguém que possa ajudar ao HOSPITAL SÃO PAULO.




domingo, 9 de julho de 2017

Festa de São Pedro na Casa da Minha Irmã no Ceará, A Decoração


ÁGUA QUE PASSARINHO BEBE E ÁGUA QUE PASSARINHO NÃO BEBE

BONECOS

A RUA

PAINEL PARA TIRAR FOTOS

CACIMBA

PAINEL DE FOTOS

PENTEADEIRA

O BAR


BUDEGA

POSTO DE SAUDE

CASA

A IGREJA

PREFEITURA

CASA

CABARÉ

NOIVOS E MADRINHA DE PANO

BONECA DE PANO

PAINEL

PAINEL

Adicionar legenda





sábado, 8 de julho de 2017

Festa de São Pedro na Casa da Minha Irmã no Ceará I

Foram três meses de trabalho, preparando para os festejos da festa de São Pedro.
Os convidados são pessoas da família e os amigos mais íntimos que comparecem para encantar essa linda festa que já é uma tradição na família.











quarta-feira, 17 de maio de 2017

Cursos



curso Básico de costura


Curso Básico de Chochê para iniciantes


Curso Básico de Panos de Prato com Parch Aplique

domingo, 7 de maio de 2017

A Familia


Esse post faz parte da Blogagem Coletiva #52semanasdegratidão da Elaine Gaspareto.



Esta semana aconteceu um fato inédito na minha família e eu não poderia deixar de registrar aqui porque é sem duvida nenhuma uma demonstração do amor de Deus, que nos diz a todos os momentos que Ele nos ama.
Na verdade, existem situações que as palavras são insignificantes demais para defini-las e como num conto de fada foi assim que aconteceu.
Eu mesma, assim como todos os meus irmãos não tivemos a felicidade de conhecer os nossos avós, tios e tias.
Por razões que não sabemos explicar meus pais perderam o contato com a família.
E assim foi. Crescemos, ficamos adultos, constituímos cada um a nossa própria família, meus pais faleceram e a vida segue o seu curso.
Mas aquela esperança de encontrar a nossa família nunca morreu em nossos corações.
Quando eu tinha mais ou menos uns 8 ou 10 anos lembro que uma irmã da minha mãe esteve lá em casa. Ela estava de passagem para morar em MG e passou lá em casa juntamente com o seu marido e filhos. E nos deixou uma foto.
E hoje depois de tantos anos, foi com essa foto que conseguimos localizar uma parte da família da minha mãe.
Essa minha tia, que esteve na casa da minha mãe, faleceu o ano passado e com 91 anos.
Uma pena não ter a oportunidade de ve-la.
Ainda estamos meios que abobalhados, tão grande foi a alegria que sentimos pelo fato de saber que nós como todas as pessoas nesse mundo também temos uma família.
A minha irmã postou aquela foto no facebook e foi assim que a nossa família apareceu.


Não poderia deixar de registrar aqui a minha gratidão a todos quanto contribuíram de alguma forma para nos proporcionar essa alegria.


Essas são as coisas boas e positivas que a internet e o facebook pode nos proporcionar.
Portanto a minha eterna gratidão.
Pena que a minha mãe não esteja mais aqui, mas de onde estiver com certeza compartilha conosco essa alegria.


Esse post faz parte da Blogagem Coletiva #52semanasdegratidão da Elaine Gaspareto.





quarta-feira, 26 de abril de 2017

Abuso

11 3827-7300

11 3827-7300

11 3827-7300

11 3827-7300

11 3827-7300

11 3827-7300

11 3827-7300

11 3827-7300

11 3827-7300

11 3827-7300

11 3827-7300

11 3827-7300

11 3827-7300

11 3827-7300

11 3827-7300

11 3827-7300

11 3827-7300

11 3827-7300

11 3827-7300

11 3827-7300

11 3827-7300

11 3827-7300

11 3827-7300

11 3827-7300

11 3827-7300

11 3827-7300

Esse telefone me liga de instante em instante e quando vou atender ninguém responde.

sábado, 15 de abril de 2017

Quando uma porta se fecha

Esse post faz parte da Blogagem Coletiva #52semanasdegratidão da Elaine Gaspareto.



Muitas das vezes somos surpreendidos com nuvens negras em nossos caminhos, as quais chamamos de dificuldades, problemas, decepções, perdas etc.

Não é exatamente o que queremos, mas temos que admitir que situações indesejáveis acontecem nas nossas vidas.

Existe um ditado popular que diz e creio que todos conhecem:

"Quando o mundo fecha uma porta, Deus abre uma janela"

E que janela maravilhosa é, essa janela!
E eu sei que muitas pessoas já tiveram a oportunidade de ver na sua frente essa janela.



Hoje mesmo assisti a um filme que prendeu a minha atenção o tempo todo.

"O amor não tira férias"

Não existe tempestade que não passe. É sempre muito bom aprender que se o dia de hoje não foi um dia bom, amanhã poderemos ter boas surpresas.
Porque caminhar chorando torna a nossa caminhada mais dolorosa.
E como no filme, eu acredito que não nascemos para ser infelizes.



Vi o filme, depois fui fazer a minha caminhada de sempre, e no caminho agradeci a Deus pela oportunidade que me dar, de ver sempre o lado positivo de todas as coisas.

Esse post faz parte da Blogagem Coletiva #52semanasdegratidão da Elaine Gaspareto.