Follow Us emedelu

quinta-feira, 6 de agosto de 2020

A Massa

agosto 06, 2020 0 Comments

A dor da gente é dor de menino acanhado
Menino-bezerro pisado, no curral do mundo a penar
Que salta aos olhos, igual a um gemido calado
A sombra do mal-assombrado é a dor de nem poder chorar

Moinho de homens que nem jerimuns amassados
Mansos meninos domados, massa de medos iguais
Amassando a massa, a mão que amassa a comida
Esculpe, modela e castiga a massa dos homens normais

Quando eu lembro da massa da mandioca mãe 
Quando eu lembro da massa da mandioca mãe 
Quando eu lembro da massa da mandioca mãe 
Quando eu lembro da massa da mandioca mãe 

Quando eu lembro da massa da mandioca mãe 
When I remember of "massa" of manioc 
Quando eu lembro da massa da mandioca mãe 
Nunca mais me fizeram aquela presença, mãe 
Da massa que planta a mandioca, mãe 
A massa que eu falo é a que passa fome, mãe 
A massa que planta a mandioca, mãe 
Quand je me souviens da la masse du manioc, mère 
Quand je rappele de la masse du manioc, mère 
Quando eu lembro da massa da mandioca mãe 
Quando eu lembro da massa da mandioca mãe 
Quando eu lembro da massa da mandioca mãe 
Quando eu lembro da massa da mandioca mãe 

Lelé, meu amor lelé, no cabo da minha enxada, não conheço "coroné"!
No cabo da minha enxada, não conheço "coroné"!
Eu quero, mas não quero (camarão), mulher minha na função (camarão)
Que está livre de um abraço, mas não está de um beliscão!
Torna a repetir meu amor: (ai, ai, ai!)
Torna a repetir meu amor: (ai, ai, ai!)
É que o guarda civil não quer a roupa no quarador!
O guarda civil não quer a roupa no quarador!
Meu Deus onde vai parar, parar essa massa!
Meu Deus onde vai rolar, rolar essa massa!

Composição: Raimundo Sodré / Jorge Portugal

segunda-feira, 2 de março de 2020

Carnaval 2020 da Cidade de São Paulo

março 02, 2020 2 Comments

Pra iniciar a minha postagem: Nota 1000 pra Prefeitura de São Paulo.
Nota 1000 para todos os blocos que animaram toda a cidade.
Não podemos deixar de reconhecer o esforço da Prefeitura para nos proporcionar o melhor nesses dias inesquecíveis que deixarão saudades.
Enquanto alguns canais de TV mostram o pior do carnaval, vamos reconhecer que o carnaval não tem nada a ver com a violência que ronda o nosso país.
A violência existe de domingo a domingo nos 365 dias do ano.
Então, ninguém é idiota para engolir tudo o que esses canais de TV publicam.
Pessoalmente estive em diversos bairros da cidade. Principalmente na Praça da Republica, Ibirapuera e Pinheiros.
Milhares de pessoas e a Prefeitura não têm culpa se acontece anormalidades.
Gente ruim e perversa existe em todos os lugares, elas simplesmente aproveitam as ocasiões para colocar em prática os seus instintos satânicos.
Vamos reconhecer que a Prefeitura não mediu esforços para proporcionar aos foliões o melhor em matéria de segurança e limpeza.
Eram centenas de banheiros espalhados pela cidade. O que não faltou foram policiais rondando por todos os lugares, catadores de lixo, atendimento médico, ambulâncias, bombeiros, oportunidades de trabalhos para tantas pessoas que estão desempregadas e etc e etc.
Vamos combinar que nem mesmo Cristo agradou a muita gente.
Nem sou politica e nem religiosa, sou povo. Que esteve em diversos blocos de carnaval na cidade de São Paulo e simplesmente adorei.
Também vi muitas pessoas usando drogas, mas sabem onde existe muitos usuários de drogas a céu aberto? 
Na cracolândia durante os 365 dias do ano.
Inclusive deviam ir até lá, evangelizar aqueles pobres coitados que perderam a noção de tudo nessa vida, principalmente de que são seres humanos.
Falar mal do carnaval de São Paulo é matéria de quem não tem o que fazer, ou tem, só que dá muito trabalho.
Obrigada a Prefeitura de São Paulo. Pelo pré carnaval e pelos quatro dias de pura alegria. E pela oportunidade de trabalho que também tivemos.
E até o próximo ano, se tivermos a oportunidade de passar por todas as coisas que nos acontece diariamente.


***



Imagem de Artturi Mäntysaari por Pixabay

terça-feira, 10 de setembro de 2019

Centro da Cidade de São Paulo

setembro 10, 2019 4 Comments
Quem conheceu a Praça da Republica de outrora e quem conheceu a av. São João e proximidades sabe que estou falando de um dos mais lindos cartão postal da cidade de São Paulo.

Sempre quando passo por ali lembro da musica de Caetano Veloso.
E quem não lembra?

Alguma coisa acontece no meu coração
Que só quando cruza a Ipiranga e a avenida São João
É que quando eu cheguei por aqui eu nada entendi
Da dura poesia concreta de tuas esquinas

Existem pessoas nesse mundo que nasceram com espirito de destruição. É o que deduzi hoje ao passar pelo centro da cidade de São Paulo e ver roupas velhas rasgadas pelo chão, cobertores estendidos em lugares onde não deveriam está, montanhas de lixo a céu aberto, calçadas encardidas com cheiro de urina e eu pensei comigo:

O que estão fazendo com a minha querida cidade amiga e acolhedora é de cortar o coração.

Reparei também que o pessoal que cuida do lixo cumprem com seu trabalho.

Varrem o lixo, recolhem e colocam nos sacos novamente. Mas, em meia hora o lixão está exposto novamente deixando a céu aberto resto de comida. 

E lixo já sabe o que atrai:

Ratos, pombos, mosquitos, baratas e tudo quanto é ruim que prejudica a nossa saúde.

Creio eu que São Paulo está passando por uma grande provação.
Volto a afirmar que o centro da cidade de São Paulo está de cortar o coração.

Nunca vi tanta sujeira
Nunca vi tanta imundície

Muito triste a realidade de pessoas que batalharam uma vida para obter uma casa própria e no final ter que conviver com uma situação tão complicada.

A razão da minha postagem não é chamar atenção dos garis. Eu os vejo constantemente juntando a lixaiada que se espalha a céu aberto.

É que realmente me senti muito triste. 
Até a próxima com mais postagem sobre o lixão.

quarta-feira, 4 de setembro de 2019

Oração do Padre Cícero

setembro 04, 2019 1 Comments


Justo Juiz de Nazareth, filho da virgem Maria,que em Belém fostes nascido entre as idolatras, eu vós peço Senhor pelo vosso sexto dia ,e pelo amor do meu Padrinho Cícero que  meu corpo, não seja preso, nem ferido , nem morto, nem nas mãos da justiça envolto.
Pax tecum,Pax tecum ,Pax tecum. Cristo assim disse aos seus discípulos

Se os meus inimigos vierem para me prender , terão olhos não me verão, terão ouvidos mas não me ouvirão, terão boca e não falarão.
Com as armas de São Jorge serei armado, com a espada de Abrão serei coberto; com o leite da virgem Maria serei borrifado na arca de Noé serei arrecadado, com as chaves de São Pedro serei fechado: aonde não me possam ver  nem ferir, nem matar, nem sangue do meu corpo tirar.
Também vos peço Senhor, por aqueles três cálice Bento por aqueles três padres revestidos, por aquelas três hóstias  consagradas ,que  consagrastes  ao terceiro dia , desde as portas de Belém até Jerusalém.
E pelo meu Santo Juazeiro  que com prazer e alegria eu seja também guardado tanto de noite ,como de dia .
Assim como andou Jesus no ventre da virgem Maria 
Deus adiante , paz na guia ;
Deus me dê a companhia que deu sempre a virgem Maria, desde a casa Santa de Belém até Jerusalém.
Deus é o Pai  na Senhora das Dores minha mãe.
Como a espada de São Thiago,serei guardado para sempre amém.

sábado, 27 de abril de 2019

Amor e Respeito - Braulio Bessa

abril 27, 2019 0 Comments
Imagem de Gerd Altmann por Pixabay 




Seja menos preconceito, seja mais amor no peito

Seja Amor, seje muito mais amor.

E se mesmo assim for difícil ser

Não precisa ser perfeito

Se não der pra ser amor que seja pelo menos respeito.

Há quem nasceu pra julgar

É há quem nasceu pra amar

E é tão difícil entender em qual lado a gente está

Que o lado certo é amar!

Amar pra respeitar

Amar para tolerar

Amar para compreender,

Que ninguém tem o dever de ser igual a você!

O amor meu povo,

O amor é a própria cura, remédio pra qualquer mal.

Cura o amado e quem ama

O diferente e o igual

Talvez seja essa a verdade

Que é pela a anormalidade que todo amor é normal.

Não é estranho ser negro, o estranho é ser racista.

Não é estranho ser pobre, o estranho é ser eletista.

O índio não é estranho, estranho é o desmatamento.

Estranho é ser rico em grana, e pobre em sentimento.

Não é estranho ser gay, estranho é ser homofóbico.

Nem meu sotaque é estranho, estranho é ser xenofobico.

Meu corpo não é estranho, estranho é a escravidão que aprisiona seus olhos na grade de um padrão.

Minha fé não é estranha, estranho é a acusação, que acusa inclusive quem não tem religião.

O mundo sim é estranho, com tanta diversidade

Ainda não aprendeu a viver em igualdade.

Entender que nós estamos

Percorrendo a mesma estrada.

Pretos, brancos, coloridos

Em uma só caminhada

Não carece divisão por raça, religião

Nem por sotaque

Oxente!

Sejam homem ou mulher

Você só é o que é

Por também ser diferente.

Por isso minha poesia, que sai aqui do meu peito

Diz aqui que a diferença nunca foi nenhum defeito.

Eu reforço esse clamor:

Se não der pra ser amor, que seja ao menos respeito!


Importância do Sono

abril 27, 2019 0 Comments

Sabemos da importância do sono para as nossas vidas, para a nossa saúde. Sim, nós sabemos. Será que damos a verdadeira atenção para a importância do sono?
Li o artigo  (Neurocientista explica como privação do sono está nos matando) e resolvi postar aqui no blog porque dormir e não dormir é uma batalha que vivo travando comigo mesma.
Aprendi com a vida que o primeiro passo para se consertar o erro é reconhecer que está errado e o segundo passo é a ação.
Porque saber é uma coisa.
Saber todo mundo sabe. E sobre tudo um pouco.
Agora colocar em prática é que são elas.
E trocando o fato do sono em miúdos:
Nós sabemos que todo ser vivente desse planeta acorda e dorme.
Faz parte da natureza e temos provas suficientes para saber que se mexemos com a natureza, as consequências são fatais.
Existem pessoas que não querem dormir. Conhece alguma delas? Eu conheço. EU MESMA.
Porque?
Porque tenho muitas coisas para fazer, porque tenho a mania de querer fazer hoje o que posso deixar para o dia seguinte, porque esqueci que sou humana e não máquina, porque o corre corre me faz esquecer que bem ali existe um relógio que marca as horas.
Mas a natureza é sábia. Não existe relógio mais perfeito que o nosso relógio. Que nos faz abrir a boca como a dizer: está na hora!
O fato de não querer ir dormir aconteceu comigo. Porque tenho mil coisas para fazer.
Já viu isso?
E nós, temos a mania de achar que as coisas só acontecem com os outros e nunca com nós mesmos.
Eu que sempre tive uma saude de ferro. Agora? O tempo mudou e as alergias de toda ordem se instala em mim.
E nem precisa ir ao médico para saber porque a minha resistência ou imunidade está tão baixa:
Vou perder muitas horas acordada aprendendo como dormir e respeitar o meu corpo que pede sono na hora certa de dormir.


***


Imagem de Enrique Meseguer por Pixabay 

quarta-feira, 20 de março de 2019

Visão espírita: quem foram os exilados de capela?

março 20, 2019 0 Comments


O termo “Exilados de capela” foi citado pela primeira vez no livro “A Caminho da Luz”, psicografia de Francisco Cândido Xavier, pelo espírito Emmanuel.

Emmanuel fala sobre os Exilados de Capela. Confira:

Emmanuel conta a história de um planeta do sistema de Capela, situado na constelação de Cocheiro, que, há cerca de dez mil anos, passava por importantes obras morais.

Os relatos dos espíritos de luz informam que este planeta estava passando por um momento de evolução, o que levaria a tão aguardada regeneração.

No entanto, haviam alguns espíritos degredados – embora evoluídos em escala astral – que ainda retardavam a evolução. Os governadores deste mundo decidiram então exilá-los para o planeta terra – mundo de provas e expiações, onde consciências trabalham pela própria renovação.

Sistema de capela

No sistema de Capela não existia espaço para espíritos degenerados, voltados às animosidades, a excessos de todas as ordens e vícios.

Assim, não acompanhando a evolução deste planeta, a terra foi uma alternativa para esses espíritos, já que estava no início de seu processo evolutivo.

Segundo Emmanuel, o objetivo desta ação foi realizar a renovação dos espíritos banidos num mundo que lhes era mais apropriado a aquele momento.

Neste período, de acordo com o mentor espiritual de Chico, os capelinos trouxeram grandes saltos evolutivos para o nosso mundo. Estima-se que viveram no período neolítico – entre 10.000 a.C. e 4.000 a.C.

Decisões como esta apontaram que o nosso planeta deu a oportunidade aos exilados de Capela serem mais úteis para os que aqui residem e também para si próprios.

Podemos concluir que é perfeitamente possível que este planeta exista, pois mestre Jesus disse na Bíblia que:“existem muitas moradas na casa de meu pai”. Portanto, podemos entender que há diversos mundos mais evoluídos que o nosso.

Espiritualidade superior prevê dois importantes períodos para a terra:

Primeiro: Virão para a terra espíritos altamente evoluídos que farão um renascimento da humanidade. Preparando-nos para a regeneração.

Segundo: espíritos comprometidos com o mal que tentarão trazer más influências ao nosso planeta.

Após este período, a terra poderá se regenerar para um mundo mais evoluído. Façamos a nossa parte amando uns aos outros como a nós mesmos.

Fontes: Boletim Espírita, Brasil Escola e Rede Amigo Espírita.

Postado por Letícia Lopes.


domingo, 17 de março de 2019

Fartura de Corruptos

março 17, 2019 2 Comments

Há corrupto bem mesquinho
Há corrupto perdulário,
Corrupto feito santinho,
E Corrupto visionário
Que engana muita gente
Fingindo-se a Deus temente,
Usa até escapulário.

Corrupto que canta e grita
E anda de Norte a Sul,
Por planícies, por planaltos
Por mares, rios, paul,
Que esfarrapa a bandeira
E vai descendo a ladeira,
Dizendo “ Está tudo azul.”

Corrupto que não se lembra
De nada que aconteceu,
Que quando vê o dinheiro
Diz logo assim : “ Não é meu!”
Que jura o tempo inteiro,
Nada tem no estrangeiro
E nem diz onde escondeu.

Corrupto em tudo mandando
Sem ter medo de ninguém,
Escrevendo e apagando
Sem deixar rastro de um bem,
Em complicados negócios
Com uma corja de sócios,
Todos corruptos também.

Corrupto que compra barcos
Casas, terrenos, mansões,
Pedrinhas de diamante,
Ouro, pérolas, aviões
Que pega uma sacola,
Finge pedir uma esmola
E amealha milhões.

E a fêmea do corrupto
Quem sabe o que ela é?
Bonita, bem arrumada,
Em tudo botando fé
Toda coberta de jóias,
Compra setenta jibóias,
Troca por um jacaré.

Há corrupto Robin Hood
E corrupto Barrabás,
Corrupto chamado Dimas
E tem até Caifás
Corrupto que rouba e some
E depois muda de nome
E diz “Até nunca mais.”

E o brasileiro perdido
Num mar da corrupção,
Larápios pra todo lado
Surrupiando a nação,
Sem dó e sem piedade,
Fingem dizer a verdade
Mas é só enganação.

O trabalhador, coitado,
Em uma guerra ferrenha,
Quanto mais luta, mais chora,
Mais na lama se embrenha
E com raiva, sem paciência,
Desconhecendo a clemência,
Acaba metendo a lenha.

Briga com o seu vizinho
Briga com o companheiro,
Perde o tino, a razão
E o restinho de dinheiro,
E os corruptos, aos abraços,
Estreitando os seus laços,
Dizem: “Morra, beradeiro!”

(Maria do Socorro Domingos)
João Pessoa, 07/05/2017
Mariamaria JPessoa Pb
Enviado por Mariamaria JPessoa Pb em 29/08/2018
Código do texto: T6433840 


https://www.recantodasletras.com.br/cordel/6433840